quinta-feira, junho 04, 2009

Banca de Jornal

A revista Nova promete dicas infalíveis para aquele cara incrível ligar depois do primeiro encontro. Lista ainda 50 segredos masculinos para você finalmente entender os homens. A revista Claudia lista os 7 passos para um casamento feliz sempre, enquanto a Boa Forma dá a receita de Mirella Santos (quem?) pra pernas e bumbum perfeitos. A Marie Claire traz uma reportagem especial sobre as bolsas mais famosas da história, objetos de desejo de todas as mulheres. A Capricho traz dicas de produtos para um cabelo liso perfeito e um teste pra saber se você vai muito na onda das suas amigas. Nas revistas de novela, é Maya pra todo lado. Maya perde o bebê, Maya tenta o suicídio, Maya isso, Maya aquilo, além de aprenda a maquiagem da Maya, compre as roupas da Maya, seja como a Maya. E quem é Maya, você me pergunta. É a personagem principal da novela das 21h da Globo. Ah, tá.

Dá preguiça de ir na banca. É taaaaanta futilidade, tanta padronização, taaanta receita pra isso, e pra aquilo, que a gente cansa de ter que ser robô, ser parecida com todo mundo, saber o que todo mundo sabe, fica maluca tentando imaginar que todas as pessoas reagem da mesma forma aos acontecimentos, que todos os homens têm as mesmas opiniões e "segredos", que todo corpo reage do mesmo jeito às dietas, que todas querem o cabelo liso, o make da novela, a bolsa da fulana, a roupa da siclana, argh! Socorro, quero descer!!

2 comentários:

Victor disse...

Ainda bem que ninguém é igual a ninguém, não é mesmo?! Também não gosto quando ficam me cobrando "você não sabe quem é Hadir Mulamé? É o personagem PRINCIPAL da novela das 8! Você é tão out...." ou coisas do gênero.

Acho que as pessoas esquecem que a maravilha da vida é sermos quem realmente somos e não simplesmente nos forjarmos à imagem das novelas.

And you're far from being a bad mother. =)

Quanto ao amor... eu sei, eu sei.... é dificil conciliar tudo com esse frio e irritação. Hoje mesmo estou com uma hiper dor de cabeça (que começou ontem), e não vai embora. Quem acaba tendo de aguentar a minha cara e o meu temperamento é o Dhan, tadinho, mas não há muito o que eu possa fazer. O jeito é se segurar e não deixar transparecer (mas lembre-se de que o Samzinho pode desconfiar de alguma coisa e achar que pode ser coisa dele ou enfim, uma boa conversa sempre ajuda). Às vezes pode ajudar se você só explicar pra ele o que acontece, mas bem por cima, pq daí ele pode querer ajudar.

Lembro de ter tido uma conversa séria com a minha mãe quando eu tinha uns 5 anos. Lembro bem dessa conversa porque foi o único dia em que eu tive de subir nas costas do meu irmão para alcançar os pratos, talheres e afins para colocar a mesa e deixá-la feliz. Levei hiper bronca depois, mas pra mim valeu a pena vê-la momentaneamente feliz.


Cada mãe sabe o próprio ritmo, o próprio passo. I know you'll be just fine! Precisando, tio sam tá aqui.

Bjos,


Sam.


p.s.: ainda não tive tempo de ler o mamíferas com tempo porque a minha cabeça explooooooooooooode.

Tata disse...

cê sabe qual a revista q tá faltando nessa banca, né?
=P