quinta-feira, dezembro 04, 2008

Maldade


Mais uma vez, muita raiva direcionada a mim. Muita mágoa, muito ranço. Ranço é uma ótima palavra pra definir aquilo que esporadicamente aparece na minha caixa de e-mail. Não tem muito como explicar, na verdade. Eu já tentei de todas as formas possíveis fazer as coisas melhorarem. Tentei de coração mesmo. Pedi desculpas, expliquei detalhadamente o meu lado, as minhas atitudes, os meus motivos. Mas não dá, porque ele não quer, e eu infelizmente não posso obrigar uma pessoa a gostar de mim. Antes que me perguntem, não estou falando do meu ex-marido não. Graças aos deuses eu e ele estamos nos entendendo bem melhor ultimamente. É outra pessoa, que também foi muito importante na minha vida, mas a quem eu magoei por não bancar nosso relacionamento. Não dava, não era o que eu queria. Passei algum tempo afastada dele, em dúvida, pensando na nossa situação, e decidi que não dava mais. Talvez eu realmente não tenha sido muito clara com ele. Talvez tenha faltado uma conversa franca da minha parte, mas não fiz isso por pura covardia, por não querer magoá-lo sendo direta. No fim, acabei magoando por conta do meu silêncio. Mas tudo bem, eu prefiro deixar isso quieto no momento. Ele foi importante pra mim e me ensinou muitas coisas. Por causa dele aprendi que não adianta a gente mergulhar de cabeça num relacionamento, cega, dar mosh mesmo. Não dá. Levar as coisas de um jeito mais tranquilo, mais calmo, dar tempo ao tempo, nos ajuda a contruir bases mais sólidas. Sei que as coisas não acontecem por acaso mesmo, acho que ele passou rapidamente pela minha vida pra me ensinar isso e me preparar pra o que viria depois, pro meu momento atual. É uma pena que isso tenha causado tanto sofrimento a ele. Já faz tempo, mas ele continua muito magoado, me atirando pedras e palavras agressivas. Me sinto triste com isso, e meio que não sei o que fazer. Talvez me calar seja a melhor resposta, mas tem horas que me sinto tão ofendida, que aceitar aquilo tudo calada incomoda demais. Por outro lado, responder dá margem para novos contatos e novas alfinetadas e eu sinceramente não estou afim. Gostaria de fazer algo por ele, mas me sinto de mãos atadas. Não dá pra salvar o mundo, né? Eu sempre nesse estigma de "a pacificadora"... Infelizmente as coisas não são sempre da forma que a gente deseja...

2 comentários:

Piccola Stella Senza Cielo disse...

Sempre te disse que acho que vc tem que escrever um livro...e continuo achando.
Bj

Blue disse...

As pessoas tendem a ser malvadas quando tem o ego ferido... Na verdade não são "as pessoas" em geral, são só as q tem muita amargura no peito... Liga não, você tem luz própria... Não "apaga" nunca!

Concordo com o outro comnt. escreva um livro, o meu com dedicatória na contra-capa, por favor! hehehe

;*