domingo, abril 06, 2008

Ferida

Eu não tô aguentando mais essa greve de palavras, mas anda tão complicado escrever... Queria que fosse mais simples passar por certas coisas, mas sei que tudo foi escolha minha, tudo, cada passo, cada caminho escolhido. Não posso reclamar da dor diante de escolhas. A única coisa que dá pra fazer agora é lembrar, pra não repetir.

"Acabei com tudo,
escapei com vida,
tive as roupas e os sonhos
rasgados na minha saída.

Mas saí ferido,
sufocando o meu gemido,
fui o alvo perfeito,
muitas vezes no peito atingido.

Animal arisco,
domesticado esquece o risco,
me deixei enganar
e até me levar por você.

Eu sei quanta tristeza eu tive,
mas mesmo assim se vive,
morrendo aos poucos por amor.
Eu sei,
o coração perdoa,
mas não esquece à toa,
o que eu não me esqueci.

Eu andei demais,
não olhei pra trás,
era solta em meus passos,
bicho livre sem rumo sem laços.

Me senti sozinha,
tropeçando em meu caminho,
à procura de abrigo,
uma ajuda um lugar um amigo.

Animal ferido,
por instinto decidido,
os meus passos desfiz,
tentativa infeliz de esquecer.

Eu sei que flores existiram,
mas que não resistiram
à vendavais constantes.
Eu sei,
as cicatrizes falam,
mas as palavras calam,
o que eu não me esqueci.

Não vou mudar,
esse caso não tem solução,
sou fera ferida,
no corpo na alma e no coração."

(Fera Ferida - Roberto Carlos/ Erasmo Carlos)

3 comentários:

Camilinha disse...

ué... cê tá aqui, né?!

um passo de cada vez...


beijos daqui...

Queijo disse...

não olhe pra trás! assim fica menos difícil.

Rezú disse...

ai ai, a velha sincronicidade.
há uns três dias ouvi essa música e pensei "cara, essa letra tem tudo a ver. vou pôr no bicho". Aí venho aqui... pimba!
rsrsrs
gosto disso.
bjo, linda.