quinta-feira, dezembro 27, 2007

Equalize

"O meu mundo não é como o dos outros. Quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que nem eu mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade...sei lá de quê!” (Clarice Lispector)

Ai, que dia estranho e quente. Odeio calor, odeio odeio odeio calor. Putz, como eu odeio calor. Pelo menos essa cidade está vazia. Pelo menos eu não demoro duas horas no trânsito pra chegar no trabalho. Mas e daí? Os corredores vazios, as pessoas todas meio sem ter o que fazer, mas mantendo aquela pose de sempre, que eu não suporto, que eu não aguento. Hoje eu só queria ficar aqui quietinha escrevendo, escrevendo, ouvindo a minha musiquinha e escrevendo, escrevendo. Mas não dá. Porque a porra do telefone toca, mas nunca é ele. Porque a porra do chefe me enche de trabalhos sem noção que me dão uma raiva imensa da minha existência inútil. Ainda bem que meu filho estava a coisa mais linda e gostosa da face da terra cantando "bom dia como vai?"com os amiguinhos da creche e eu te digo que eu podia passar o dia inteiro só ali, quietinha, observando cada movimento dele. E não entendo como o pai dele consegue ficar tanto tempo longe. Não entendo, não entendo, mas não quero questionar isso agora. E onde você está agora, seu puto, que não me liga, que não me escreve que não aparece, e eu fico aqui caolha, maneta, perneta, meio torta. Mas que droga, será que você NÃO SENTE O MESMO????!!! Me revolta um pouco, me revolta... Mas passa, vai passar. E meu pai que muda mil e quinhentas vezes o lugar onde vai passar o fim de ano. E a Mary W. parou o blog... Como assim, Mary? Órfã de blogs inspiradores. Órfã... E que tomem no cu as pessoas todas que vem me desejar feliz ano novo. Que tomem nos seus respectivos CUS mesmo, eu só quero que o dia passe e que ele venha me ver, só isso. Não quero um feliz ano novo, quero ser feliz agora AGORA... Porque definitivamente não tô feliz agora. Argh. Que droga. Acho que exijo demais. Das pessoas, dele, do pai do meu filho, do meu próprio pai, do meu filho, da Mary W, de mim, de tudo e de todos. Exijo perfeição sendo que acho o imperfeito tão agradável. Não me emendo, e não me entendo, mas queria tanto tanto entender. Tudo é tão lindo, tão, bom, tão legal, e eu querendo sempre mais, mais MAIS. É justo? Não, não é. Nem um pouco. Nem comigo, nem com ninguém, mas é o que posso oferecer agora. Minhas exigências. Só. Vão encarar?

Um comentário:

mary w disse...

hum. mas eu desejo sim. feliz ano novo pra voce. vai ser diferente esse ano. c vai ver. beijo. ;)